terça-feira, fevereiro 28, 2006

Solidão por Chico Buarque

Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo..... isto é carência.
Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar..... isto é saudade.
Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes, para realinhar os pensamentos..... isto é equilíbrio.
Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente para que revejamos a nossa vida..... isto é um princípio da natureza.
Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado..... isto é circunstância.
Solidão é muito mais do que isto.
Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma .....
Francisco Buarque de Holanda

sexta-feira, fevereiro 24, 2006

Esta música é para ouvir bem alto........é a loucura!!

SOMEBODY TO LOVE

Queen

Can anybody find me somebody to love
Ooh, each morning I get up I die a little
Can barely stand on my feet
(Take a look at yourself) Take a look in the mirror and cry (and cry)
Lord what you're doing to me (yeah yeah)
I have spent all my years in believing you
But I just can't get no relief, lord!
Somebody, somebody, oh somebody, somebody
Can anybody find me somebody to love ?


Yeah
I work hard (he works hard) every day of my life
I work till I ache my bones
At the end (at the end of the day)
I take home my hard earned pay all on my own
I get down (down) on my knees (knees)
And I start to pray
Till the tears run down from my eyes
Lord, somebody, somebody, ooh somebody
(Please) Can anybody find me somebody to love ?


(He works hard)
Everyday (everyday), I try and I try and I try
But everybody wants to put me down
They say I'm going crazy
They say I got a lot of water in my brain
Ah, got no common sense
I got nobody left to believe in
Yeah yeah yeah yeah


Oh lord
Ooh somebody, ooh somebody
Can anybody find me somebody to love ?
(Can anybody find me someone to love)


Got no feel, I got no rhythm
I just keep losing my beat (you just keep losing and losing)
I'm ok, I'm alright (he's alright, he's alright)
I ain't gonna face no defeat (yeah yeah)
I just gotta get out of this prison cell
Oneday (someday) I'm gonna be free, Lord!


Find me somebody to love (x7)
Find me somebody to love love love
Find me somebody to love
Find me somebody to love somebody somebody somebody somebody
Somebody find me
Somebody find me somebody to love
Can anybody find me somebody to love ?
Find me somebody to love
Oooh find me somebody to love
Somebody somebody
Find me somebody somebody to love
Find me find me find me find me find me somebody to love
Somebody to love
Find me somebody to love
Somebody to love
Find me somebody to love
Anybody any brook and I'm bound to find me somebody to love (to love)
Oh find me find me find me love

quinta-feira, fevereiro 23, 2006

Barcelona!!!!!!


Ai que saudades de Barcelona... que loucura... desde o Félix e a Rosa que nos receberam... do jantar em casa da camarada Rita com muita dança e... enfim... a chuva e o metro... o andar pela primeira vez na Montanha Russa... o Parada Stop com muito frio... os gelados chocolat, chocolat, chocolat, fresa... o cantar no meio das ramblas... o lagarto que a Ana não viu... o pé aberto da Paula... o andar ligeiro da Liliana... o espectáculo de luz, cor e som na Praça de Espanha ao som de Barcelona e eu a participar num espéctáculo de fogo com capacete... enfim... uma cidade que deixa a saudade de momentos inesquecíveis... Adoro Barcelona!!!






























E a música... Viva Barcelona!!!


Barcelona Barcelona
Barcelona Barcelona
Viva

I had this perfect dream
-Un sueno me envolvio
This dream was me and you
-Tal vez estas aqui
I want all the world to see
-Un instinto me guiaba
A miracle sensation
My guide and inspiration
Now my dream is slowly coming true

The wind is a gentle breeze
-El me hablo de ti
The bells are ringing out
-El canto vuela
They're calling us together
Guiding us forever
Wish my dream would never go away

Barcelona - It was the first time that we met
Barcelona - How can I forget
The moment that you stepped into the room you took my breath away
Barcelona - La musica vibros
Barcelona - Y ella nos unio
And if God willing we will meet again someday

Let the songs begin
-Dejalo nacer
Let the music play
-Ahhhhhhhh...
Make the voices sing
-Nace un gran amor
Start the celebration
-Van a mi
And cry
-Grita
Come alive
-Vive
And shake the foundations from the skies
Ah,Ah,Shaking all our lives

Barcelona - Such a beautiful horizon
Barcelona - Like a jewel in the sun
Por ti sere gaviota de tu bella mar
Barcelona - Suenan las campamas
Barcelona - Abre tus puertas al mundo
If God is willing
-If God is willing
If God is willing
Friends until the end
Viva - Barcelona

É tão bom...


É TÃO BOM
Vale a pena ver
castelos no mar alto
Vale a pena dar o salto
pra dentro do barco
rumo à maravilha
e pé ante pé
desembarcar na ilha
Pássaros com cores que nunca vi
que o arco-íris queria para si
eu vi o que quis ver afinal
É tão bom uma amizade assim
Ai, faz tão bem saber com quem contar
Eu quero ir ver quem me quer assim
É bom para mim e é bom pra quem tão bem me quer
Vale a pena ver o mundo aqui do alto
vale a pena dar o salto
Daqui vê-se tudo às mil maravilhas
na terra as montanhas e no mar as ilhas
Queremos ir à lua mas voltar
convém dar a curva
sem se derrapar
na avenida do luar

terça-feira, fevereiro 21, 2006

O Óscar também quer postar...


Miau...

A estética do lixo... em Braga!





Braga é uma cidade linda, as imagens falam por si...
A beleza é um conceito abstracto e muitas vezes associada à estética... a meu ver não é muito estético o lixo nas ruas da cidade, nem tão pouco benéfico à saúde pública... questiono-me todas as noites, cada vez que vou despejar o lixo na rua, a inexistência de contentores do lixo... será que é para preservar a estética da cidade, ou não será uma falsa questão, tendo por base que em prol de uma beleza efémera se ponha em causa a saúde dos cidadãos... mas calma existem imensos ecopontos espalhados pela cidade, quase todos vazios... sinceramente não entendo as prioridades da autarquia, mas nem sequer questiono as suas políticas, simplesmente questiono a inexistência dos contentores... e o mais enervante é que existe um horário para colocar o lixo nas esquinas dos prédios, caso não se cumpra é-se alvo de coimas... é ridículo... qualquer dia é-se multado por respirar fora de horas... hello!!!dahh!!;)

segunda-feira, fevereiro 20, 2006

Damien Rice

the blower's daughter

and so it is
just like you said it would be
life goes easy on me
most of the time
and so it is
the shorter story
no love no glory
no hero in her skies
i can't take my eyes off of you
and so it is
just like you said it should be
we'll both forget the breeze
most of the time
and so it is
the colder water
the blower's daughter
the pupil in denial
i can't take my eyes off of you
did I say that I loathe you?
did I say that I want to leave it all behind?
i can't take my mind off of you
my mind
'til I find somebody new

Braille



A célula Braille é constituída por 6 pontos. A partir daí faz-se tudo um pouco... um site muito porreiro que dá para treinar é http://www.braillevirtual.fe.usp.br/pt/index.html. Até já consigo jogar à forca sem ficar pendurada!!:)

domingo, fevereiro 19, 2006

Ter o CAP

No outro dia um formando meu virou-se para mim e disse:
- Já tenho o CAP!
E eu respondi:
- Já estás capado!!:)

Receita para fazer um herói

Tome-se um homem,
Feito de nada, como nós,
E em tamanho natural.
Embeba-se-lhe a carne,
Lentamente,
Duma certeza aguda, irracional,
Intensa como o ódio ou como a fome
Depois, perto do fim,
Agite-se um perdão
E toque-se um clarim.

Serve-se morto.

Reinaldo Ferreira

sábado, fevereiro 18, 2006

Sintra

Para além dos travesseiros (ainda tenho água na boca)... Sintra é... palavras para quê...




Sinónimos

Aqui no Norte existem formas diferentes de chamar as coisas... às vezes simplificam como é o caso da Nata, que é um Pastel de Nata, outras vezes dou comigo a falar chinês com os bracarenses... mas já aprendi umas coisitas:
Merenda = Lanche
Palmier recheado = Harmónica
Palmier coberto = Coração
Couve = Penca
Refogado = Estrojido
Junto de = à beira de

Já adoptei a expressão "à beira de", mas continuo com o meu sotaque de Lisboa, pelo menos é o que me dizem, que carrego nos Rs... (o pessoal aqui é que troca os Bs pelos Vs, e lá acham que é pior carregar nos Rs, enfim...) :)

Fico apavorada quando um estrangeiro me pede informações...

São já várias as situações em que os estrangeiros me pedem informações, mas Porquê???eu não as sei dar em condições... vejam:

1. Um dia em que fui dar formação pós laboral junto da Feira da Ladra, lá ía eu contente da vida e super carregada com uns livros, quando de repente dois moços (bem jeitosos) me perguntaram onde é que havia um restaurante. Os moços eram espanhóis...
Resposta: io non conoscio nadia aiqui... ir a uno café and ask... (foi qualquer coisa deste género, claro que eles não perceberam nada)

2. No Rossio, junto a pastelaria Suíça, um rapaz chinês pergunta-me assim sem mais nem menos Disco?
Resposta: you want a disco to dance or a shop to buy cds?ele continuou... Disco? e eu voltei a perguntar para responder da forma mais correcta... you want a disco to dance or a shop to buy cds? ele continuou... Disco? por fim, respondi-lhe go and ask a police!!! (enfim, eu sei que compliquei a vida ao rapaz, mas quis clarificar, queria uma Disco, mas que raio de Disco...)

3. Também no Rossio, à espera do 59, com os auscultadores nos ouvidos a ouvir música, e numa paragem com mais pessoas, uma rapariga chinesa, dirigiu-se a mim e perguntou qualquer coisa que só percebi aeroporto... e eu pensei "olha-me esta, com tanta gente aqui, logo me foi perguntar a mim, sei lá eu quais são os autocarros que lá vão parar, só sei que não é deste lado".
Resposta: apontei p o outro lado da praça e disse-lhe there you take a bus, ask there!!! (ufa)

4. Já em Braga, e durante uma aula de orientação e mobilidade, lá ía eu a ver se a minha formanda fazia os dois toques, lálálá, um casal inglês dirige-se a mim e deu-me um mapa para as mãos e eu olhei... depois de perceber que já tinham visitado todas as Igrejas da zona, lá esclareceram que queriam ir para o Bom Jesus... eu muito espantada, respondo: on foot? (é que estavamos perto do Arco da Porta Nova, no centro histórico) Eles riem e dizem que não e apontam para o carro... lá dou as indicações left, right... o pormenor then you'll see Feira Nova on left... mas o melhor de tudo, não me lembrava como se dizia rotunda... lá me safou a minha formanda que desenhou com a bengala um círculo e ficamos todos felizes e contentes... não sei se eles lá chegaram com as minhas indicações...

Perigos do Sumol!!

Um dos efeitos do sumol, é a loucura... já fui uma verdadeira sumólica... ora aqui está o resultado de um sumol de laranja (francamente, já não me lembro se era de laranja, mas era sumol) num café qualquer nos Anjos em Lisboa, nos tempos de faculdade... (Ana vê se te lembras desta!!)

Scream my love

Why do you cry my name
I scream my love
Do you hear me?!

My lips whisper you
My arms hold your memory
I seek you in my body

Answer me
Free your spirit
and flirt with me

Feed my eyes
Tell me you are here
Tell me you are mine

Scream my love
Scream my love
you are here

... smoking the clouds that paint our minds!

(é uma pena não encontrar o texto esparguete entusiasmado... é ainda pior!!eheh)

Ambrósio, apetecia-me algo... bom!!!


... apetecia-me um travesseiro de Sintra, da piriquita, ou também serve a do café mais acima à esquina, que agora não me lembra o nome, mas que se vê muito bem porque está pintada de verde, até um cego vê... por isso, ambrósios da linha de Sintra, enviem-me um ou mais travesseiros por correio verde!!!(até já estou com água na boca!!)

sexta-feira, fevereiro 17, 2006

Provérbios não é comigo!!!

O Clássico: Quem ri, ri em último!!
O mais recente: ...cada cagadela cada minhota...
Só disparates, mas dou comigo a rir sozinha de mim mesma!!é dramático!!:)

Nessun Dorma

No que me fui lembrar... um dia estava eu no bar da faculdade (que saudades!!) e estava para lá sozinha a fazer nada (não sei onde é que as minhas amigas andavam...). Lembrei-me de ir para a rádio e pôr umas músicas... lá me deram autorização e fui com as minhas cassetes muito mal gravadas... nessa altura tinha numa delas Ópera... Puccini foi a minha escolha entre outras. Nunca mais me deixaram ir para a rádio... não sei se foi do som muito alto, mas isto deve-se ouvir alto... fica aqui a letra:

Nessun Dorma

Il Principe:
Nessun dorma!... Nessun dorma!...
Tu pure, o Principessa, nella tua fredda stanzaguardi le stelle che tremano d'amore e di speranza!Ma il mio mistero è chiuso in me,il nome mio nessun saprà!No, no, sulla tua bocca lo dirò,quando la luce splenderà!Ed il mio bacio scoglieràil silenzio che ti fa mia!

Coro donne:
Il nome suo nessun saprà...E noi dovrem ahimè, morir, morir!...

Il Principe:
Dilegua, o notte! tramontate, stelle!Tramontate, stelle! All'alba vincerò!Vincerò! Vincerò!

Poema

Num dia em que faltou a luz lá em casa, toca de jogar às cartas à luz de velas... se já não bastava ser difícil contornar a escuridão, eis que me lembrei de declamar poemas por todas as vezes que ganhava... foi um alívio para os meus pais quando de repente veio a luz e me fizeram calar... Pedro Oom foi um dos poetas que li... deixo aqui o poema:

Tua boca
é um dia estreito
cheio de moscas

De noite
tem a cor azul-verde
dum veneno
como mar

quinta-feira, fevereiro 16, 2006

O óscar!!!Não o Wilde, mas Wild... o meu!!

O Óscar!!!


Antes....


















Nos entretantos...









Agora!!!

Já tenho um blog!!

Deixo-vos a letra do Norte do J.Palma, fonte de inspiração para este blog... vamos lá ver no que é que isto vai dar... nem que sirva somente para monologar e espelhar no monitor o reflexo dos caminhos que percorro...

Norte (O meu)
(J.Palma)

Volto as costas ao vazio
procuro o vento frio
o caruncho pode desfrutar
do meu velho sofá
deixo as manchas de café
o candeeiro de pé
vou em busca do meu Norte

Levo imagens que sonhei
tesouros que roubei
a famosa gabardine azul
tem mais alguns rasgões
levo as horas que perdi
o espelho a quem menti
sigo em direcção ao Norte

Quantos pontos cardeais
ficarão no cais da solidão?
Quantos barcos irão naufragar,
quantos irão encalhar na pequenez
da tripulação?

Deixo os dias sempre iguais
os mundos virtuais
deixo a civilização que herdei
colher o que plantou
abondono o carrossel
a Torre de Babel
deitei fora o passaporte

Confio às constelações
as minhas convicções
quebro o gelo que se atravessar
no rumo que eu escolhi
o astrolábio que há em mim
vai respirar enfim
hei-de alcançar o meu Norte